Beleza exterior

Posts Tagged ‘olhos

Esse post é ultrarrápido (e com foto de celular, sou linda? sou prática? me deixa, gente), só pra dar uma dica pra quem gosta de usar maquiagem colorida, mas nem sempre pode abusar de mil esfumados criativos. Dá, sim, pra usar só um toque de cor, e dar uma alegrada nível dia a dia nos olhos. Vejam bem que eu enfatizei que é nos olhos, justamente porque essa dica foge do básico “usar um batom de cor forte e olhos neutros”, que é o truque que a gente mais usa quando quer dar esse tchãns, né? Então, pra uma sexta-feira que prometia ser animada (mas na qual eu obviamente ainda teria que passar o dia trabalhando, logo, nada de maquiagens fortes) eu fiz isso aqui, olha:

(Ai, gente, não tá lin-da minha montagem? Curso de photoshop, cadê?)

Fácil, né? Um delineador preto, traço básico, sem gatinho nem nada, e um lápis verde na linha dos cílios. Nosso movimento inicial certamente seria passar lápis preto, pra acompanhar o delineador. Mas né, não tem nenhuma regra que diga que é assim que tem que ser. E sem essa dose extra de preto tudo fica muito mais leve.

(Os produtos que eu usei: Superslick Liquid Eye Liner e lápis So There Jade, M.A.C; rímel Define a Lash, Maybelline)

Esses delineadores de nome pomposo são lançamentos da M.A.C na coleção Fabulous Felines (que chegou ao Brasil agora em novembro). Eu tinha visto na Temptalia, mas não dei tanta bola. Até que revi no Coisas de Diva e opa, que coisa linda.

Daí, né. Corri na Sack’s e comprei as cores Desires & Devices e Smoky Heir.

Com flash e sem flash. Que swatch bem feito, né mesmo? hahaha

A cor Desires & Devices é um tom ligeiramente verde-oliva, mas que tem brilhos em tom de ouro-velho. É uma cor muito difícil de descrever, mas certamente linda! A cor Smoky Heir é um roxo/lilás/ameixa (hahaha, eu sei, não consigo me decidir por um dos três termos), com brilhos roxos.

Eu comprei um pouco por impulso, é bem verdade. Mas a verdade é que eles são ótimos delineadores. O formato da ponta faz com que seja bem fácil fazer uma linha bem fininha (e olha que delinear é meu fraco!), e além disso eles duram muito, tipo mesmo se você lavar o olho, sabe.

Como eles são coloridos, comprei pra usar principalmente assim, só passando uma linha – que pode ser fina ou mais grossa –, sem sombra nem nada, pra dar uma cor nos looks diários. E estou amando! Ele dura o dia inteiro, e tem que esfregar bem com demaquilante pra sair. Além disso, se quiser usar pra complementar looks elaborados com sombra, dá também, porque ele não borra. Nas fotos, o Desires & Devices, em cima, complementei com lápis bege na linha d’água; já o Smoky Heir, embaixo, complementei com lápis azul-marinho. E dá pra inventar mil combinações.

(Nos dois links lá em cima tem mais cores. E amostradas de uma forma bem melhor. De nada.)

Quem já me viu sem maquiagem – e isso bem acontece quando eu tô deprimida, por exemplo, beijo pra quem me aguentou na última semana – sabe que corretivo é uma parte meio obrigatória na minha rotina.

Eu tenho usado principalmente três corretivos da M.A.C. – Select Cover Up, Studio Finish e Studio Sculpt. Achei que valia a pena fazer uma comparação entre eles, porque vejo uma boa diferença em termos de textura e cobertura.

Para fins de comparação, me sujeitei à humilhação de tirar uma foto sem nada cobrindo minhas olheiras. Respirem fundo e vamos lá:

 Sentido horário: sem nada, Select Cover Up, Studio Sculpt, Studio Finish

Sentido horário: sem nada, Select Cover Up, Studio Sculpt, Studio Finish

O Select Cover Up é o que tem menos cobertura, como vocês podem constatar pela infeliz prova fotográfica produzida por essa gênia artística que soy yo. Ele é ok para quem a) não tem olheiras drásticas e vindas diretamente do mundo das trevas para assombrar a humanidade, como é meu caso; b) tem rugas e rola aquele medo de um corretivo cremoso marcar as linhas; ou c) quer um “make natural”.

Eu não tenho assim várias rugas, mas também não sou uma pessoa desprovida de linhas de expressão, dado que sou velha, rio muito (amo minha justificativa?). Então, todos os corretivos marcam um pouquinho as linhas abaixo dos olhos – e esse é o que marca menos, por ter cobertura mais suave. (Mas pensando bem nas fotos todos parecem iguais, né? Hm, mistério.) E, imagino que também por causa dessa cobertura, tem a menor duração entre os três, apesar de corretivo não ser algo que eu reaplico em nenhum caso.

Pela ordem da foto, o primeiro de baixo, Studio Sculpt, é meu atual favorito. Ele é bem cremoso, mas nada duro, sabe? É quase uma textura em mousse. E cobre super-super bem. Para evitar que ele craquele mais do que deveria, eu tenho passado com um pincel fofo, de esfumar (tipo o M.A.C. 217); mas na foto usei o dedo, e também funciona, claro. Acho que dá pra ver na comparação que ele cobre bem mais que o primeiro, né?

Finalmente, o Studio Finish. Acho que dos três ele deve ser até o mais famoso da M.A.C., e tem uma boa razão pra isso: é o que oferece cobertura mais alta – e é queridinho da Marina Smith, que é guru, e a gente ama e escuta, né? Foi minha primeira compra M.A.C. (tanto é que tá no finzinho). Ele realmente é ótimo e cobre até a olheira que você vai ter na manhã seguinte, mas tem alguns poréns. Tipo o fato de ele ser bem durinho, então não rola passar com o pincel fofo que eu falei. Com o dedo fica bom, porque daí o calor da sua mão meio que “derrete” o corretivo. Mas, por causa dessa consistência cremosa-dura, ele acumula mesmo nas dobrinhas. Inclusive em dobras que você nem sabia que estavam lá. Isso dito, é maravilhoso para espinhas (apesar de que eu não uso pra isso porque não seria a mesma cor) e fenomenal para dias de cansaço extra.

Então é isso. (Preciso urgente de um editor porque ninguém merece post de duas páginas, parabéns se você teve força de vontade pra ler até aqui.)

*Ah, meus corretivos são todos cor NW30, caso alguém estivesse curiosa.

Eu sei que, pra muitas pessoas, passar sombras pode ser uma das coisas mais difíceis, em termos de maquiagem – na teoria, pelo menos. A ideia de ter que usar não sei quantas cores diferentes, e misturá-las, e esfumar, e marcar côncavo, e iluminar e etc-sem-fim é uma noção meio complexa, mesmo.

Por isso que eu quero mostrar pra vocês um jeito muito muito fácil de fazer isso – usando uma cor só ou, no máximo, duas, mas no mesmo tom. É uma maquiagem monocromática, mesmo, mas que, por ter uma corzinha (não vale fazer tipo com sombra marrom, sabe? Quer dizer, vale, mas não funciona tão bem), super fica boa e ressalta o olho e tudo aquilo que a gente quer. Primeiro, vamos ver como fica, e depois eu mostro a simplicidade da coisa:

Ao vivo é mais coloridinho, tá? Acreditem na foto dos produtos mais do que na dos olhos

Pra fazer isso aí você precisa só de uma sombra coloridinha. Nesse caso, uma cor “ameixa”. Basicamente, você passa na pálpebra inteira e dá uma esfumada pra cima – pode passar um pouco do côncavo, e reforçar a cor nesse esfumado. Eu usei duas, porque quis intensificar a cor, mas não é necessário. Eu usei esses produtinhos abaixo:

Sombras “Blackberry” e “Naked Lunch”, da M.A.C., e “Cinammon”, da Chanel, e pincel de esfumar 217, da M.A.C. Você pode usar a cor que tiver mais à mão (estou doida pra testar um tom vinho, por exemplo – amanhã vou na Liberdade ver se compro, diz que tem do Duda Molinos). Ah, sim – essa sombra do meio usei só pra iluminar o arco da sobrancelha e o cantinho do olho. E assim: precisa, sim senhora, de um pincel decente. Com o de esponjinha não vai funcionar, tsá. (Um dia desses vou fazer um post sobre pincéis, me aguardem.)

P.S.: Como eu sei que eu não sei descrever esses processos, dúvidas nos comentários, ok?

Lápis de olho é uma coisa teoricamente fácil de usar e que não tem muito segredo. Mas, sabendo alguns truques, ele pode ser um super coringa na sua maquiagem: dá pra delinear, esfumar, fazer base de sombra, mil coisas. E com um lápis bege dá pra fazer uma coisa mais legal ainda: deixar seu olho mais aberto e seu rosto mais “acordado”, sabe como?

É uma dica muito mega master legal porque mais simples não há: você pega um lápis bege e passa na linha d’água. Só isso. Não precisa nem passar por fora, rente aos cílios (nessa parte, e também na pálpebra superior, pode passar um colorido, que nem eu fiz na foto). Tcharã!*

Ignorem as olheiras, um dia saberei usar Photoshop e minha dignidade voltará

O meu é a lapiseira da Vult, quebra um super galho e não custa quase nada, nas farmácias de bairro mesmo tem (e nesse site que eu linkei, que é confiável e tem todos os produtos baratinhos que a gente tem preguiça de caçar por aí). Mês que vem, acho, chega na MAC uns bacanas, da coleção Pret-a-Papier (a Vivian  mostrou no blog dela, o Fabulous, ó) – quero testar porque acho que a durabilidade deve ser maior. E ah: dá pra fazer com lápis branco também. O efeito fica menos discreto, mas mais moderno.

(Por Laura F.)

*Gente, eu sei. Tcharã? Eu sou a tia velha da blogosfera, né.


Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 17 outros seguidores

Atualizações Twitter