Beleza exterior

Posts Tagged ‘Impala

Nesse tempo que eu fiquei sem postar deu pra acumular bastaaaante esmalte, né? Mas vou mostrar só um de cada vez, porque não quero gastar a paciência de todo mundo! Vai faltar meu favorito, que não fotografei mas que está loucamente disseminado e fotografado por aí, o Na Mira 3D, da Impala (coisa linda de meudeus!).

O primeiro foi essa inglesinha, com uma combinação que eu acho, pasmem, clássica e linda: vermelho e rosa. (Sem contar que é uma forma discreta de colocar duas cores na francesinha sem chocar muito, já que é quase ton sur ton, né?) São duas cores muito parecidas, e me surpreende a gente não pensar mais vezes em colocá-las juntas:

Usei o Maria Flor, da Impala, com o Rosa Colonial, da Colorama, na ponta.

O que vocês acham? Usariam?

Anúncios

Nunca mais consegui ser uma pessoa que usa cores e combinações normais de esmalte na vida – o clássico rendinha, por exemplo, nunca mais passou perto das minhas unhas. Mas como ‘normal’ é um conceito muito relativo e tal, eu nem ligo. E então tomei coragem pra mudar mais um pouco e usar duas cores de esmalte de uma vez só.

Os esmaltes da semana não são novidade na esmaltolândia – usei a cor 206, da Hits (um verde-água que foi lançado no começo do ano, mas tem tudo a ver com a vibe atrasada pastel da temporada) e, no anelar, o Impala Cromo Special prata (que estava jogado lá no fundo da caixinha de esmaltes há alguns meses). A Laurinha, esperta e cheia de boas ideias como sempre, fez um teste ótimo com esmaltes prateados. Clica pra ver.

Achei que o visual ficou delicado e diferente. Claro que umas cinqüenta pessoas me perguntaram se eu tinha passado o esmalte errado no anelar, acharam que era efeito da luz ou que tinha descascado e eu resolvi passar o primeiro esmalte que vi na frente pra disfarçar. Mas ok, gente, a vida é assim mesmo.  ¬¬

O 206 da Hits é ralinho, e pra cor aparecer e cobrir bem, a manicure teve de passar três camadas. Já o Impala Cromo cobre logo de primeira, só que fica riscado, sabe como? Daria uma pontinha da unha do dedo mindinho pra ele ficar uniforme, mas não fica não – dizem que só passando um perolado por cima. Mesmo assim, achei lindinho e usarei outras vezes. Se você, como eu, cansou do ‘mais do mesmo’, mas também não tem assim aquela coragem pra sair de casa com uma unha de cada cor, esse é um bom começo. Medo de não gostar da experiência? Liga não, algodão e acetona resolvem rapidinho!

As cores candy – aquelas bem coloridas, que lembram cores da infância, meio em tom pastel, sabem como? – estão super em alta, já faz algum tempo. E tudo o que anda muito em alta, a gente já sabe logo: vai acabar nas unhas.

Então, eu aproveitei que essa é uma moda que, em termos de beleza eu gosto bastante (mais do que em moda, pra falar beeeem a verdade), e fiz uma pequenina seleção entre os meus vidros dos esmaltes que eu acho que dá pra adotar sem medo de ser criança feliz.

Eu pintei assim, lindo, um em cada unha, e sabe? Vou dizer que até gostei. Sairia assim na rua fácil, não fosse o fato de que fui eu mesma que fiz (cê jura, tá tão bem pintado!) e minha incrível habilidade me impede de fazer o mesmo na mão direita, fato que me obrigou a passar acetona em tudo tão logo terminei as fotos.

Os esmaltes que eu usei foram:

Da esquerda para a direita:
1- Encanto, Eliana. É um lavanda lindinho, uma das minhas cores favoritas. Bem cremoso e só ligeiramente chato de passar (a primeira vez que usei fez várias bolhinhas, mas isso a gente sabe que depende do dia e da pessoa, né?)
2- Cigarrette, Risqué, coleção Pop 4 You. Ele é fosco, mas eu passei um extrabrilho pra ornar com as outras unhas. Gostei especialmente porque ele seca bem rápido e bom, azul é sempre fofura.
3- Blow, Illamasqua. Amarelo pastel é vida, é amor, é carinho e afeição na ponta dos dedos, meu Brasil. Agora, se vocês querem a verdade sobre o preço e a cobertura dele, revisitem este post. Sem mais.
4- Água de Coco, Hits Specialittá. O mais legal é que eu simplesmente não sei se esse esmalte é verde-limão ou amarelo. Hahahahaha. Ficou manchadinho, mas vai saber se isso é culpa minha ou do esmalte, né. O importante é que a cor é sensacional e tudo o mais.
5- Gaivota, Impala. Cor de mulher fina, tipo um laranjinha-apagadinho-ligeiramente-terroso. Mas é muito, muito lindinha. Nunca usei na mão inteira porque tenho 80 vidros de esmalte, mas pretendo assim que tiver um compromisso que exija de mim seriedade e glamour ao mesmo tempo (ou seja, provavelmente nunca, porque seriedade? Não trabalhamos).
6- Essa é a base fortificante + extrabrilho que eu uso, a Double Duty, da Sally Hansen. É cara (não lembro quanto tenho alzheimer, mas comprei na Audrey, na Liberdade), mas tá só na metade, e eu uso só ela há um ano.

Essas são minhas indicações. E vocês, pretendem adotar algumas dessas cores nhami pro verão?

Começo esse post com uma reflexão: é lícito uma pessoa ter mais de um esmalte verde e um azul? E mais: é normaaaal ter VÁRIOS de cada cor? E ainda: é aceitável que essa mesma pessoa não possua nenhum esmalte, digamos, vermelho ou rosa?

Sim, essa pessoa sou eu. E, depois de perceber minha obsessão recente com todas as variações de esmaltes verdes e azuis, resolvi fotografá-los pra falar aqui de cada um. Olha só quantos:

Vamos por partes: o do dedão é o Menta, da Risqué; ele é o verde mais, assim… verde (oi, eu não sei descrever cor, tá, ficaí uma informação sobre mim para o futuro), e por isso mesmo não é meu favorito, já que a cor fica meio óbvia demais. Já o Sereia, da Impala (no indicador), é um dos meus queridinhos – eu juro que ele é azul, mas tem gente que diz que é verde –; de qualquer forma, é uma cor bem verão e com ótima cobertura e duração. O do meio é o Jade, da Big Universo, cópia do homônimo da Chanel; algumas meninas não curtem muito a textura dele, que é grossa e pode manchar – mas eu, particularmente, acho que a cor, linda, vale a pena o sofrimento (hahahaha, alokadoesmalte). No dedo anelar está o meu novo favorito do momento (tô super aí pra cores pastel na unha ultimamente, depois venho mostrar um que eu tô matando pra ter, da Illamasqua), também da Big Universo, o Glacial; é um azul bem pastel, lindo, que até quem não gosta de esmalte diferente (oi, Raquel, oi, Carol) acha bonito pessoalmente. Por último, o Spirit, da Impala; sinceramente, pra mim, é a cor mais sem graça da coleção Matte Fluors, e a única coisa de legal que ele tem é justamente ser matte e flúor – porque não cobre bem e não gosto muito da cor (acho meio assim, floresta demais).

Vocês acharam que acabou, né? Não! Ahahahhaa

Essas são as duas cores mais “invernais” na família dos azuis. O Lápis Lazuli (no dedo indicador), da coleção Joias Místicas, da Risqué, é bem atual e modernoso; o efeito fosco é beeeem mais fosco que os neons da Impala, e fica lindo nas unhas. Já o outro, o Night Blue, é da coleção de inverno 2010 da Arezzo – essa coleção é bem melhor do que a de verão, que tinha cores lindas, mas inusáveis (é, inventei uma palavra, medeixa) por causa da textura esquisitíssima. Esse, bem como as outras cores (tenho também a New Grey e a Grafiato) cobre super bem com duas camadas.

A coleção reunida: oi, meu nome é Laura, e eu só uso esmaltes de cor esquisita

(Por Laura F.)


Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 17 outros seguidores

Atualizações Twitter