Beleza exterior

Archive for the ‘resenha’ Category

Dermotivin Foam Control para peles muito oleosas

Esse post ia ser, inicialmente, uma batalha de produtos. Mas os protagonistas da história são tão diferentes que descobri que não seria justo, nem valeria a pena. O fato é que queria contar pra vocês sobre como substituí, com sucesso, o uso do bom e velho Effaclar (La Roche Posay) pelo Dermotivin Foam Control (Galderma), uma espuma de limpeza que fez toda a diferença numa pele ao mesmo tempo oleosa e ultra sensível como a minha.

Eu usava o Effaclar também por recomendação médica. Mas, com o tempo, ele passou a ser agressivo demais e começou a ressecar bastante minha pele. Então comecei a usar o Dermotivin Foam Control. Após 15 dias de teste, só posso dizer que é um sucesso. Apesar de ser recomendado para peles muito oleosas (o que nunca achei que fosse o meu caso), o produto não é nem um pouco agressivo.  Você aciona uma só vez o pump e o que vem é uma espuminha muito delicada, que rende bastante, tem um cheiro ótimo e deixa a pele bem fresquinha. Tenho usado o produto duas vezes ao dia, de manhã e à noite, e a pele fica seca o dia todo, sem brilho, ressecamentos, nem pequenas descamações. Também notei que os poros da maçã do rosto ficaram mais discretos.

Enquanto escrevia esse post, liguei para o SAC da Galderma, pois descobri que existem dois tipos do produto em espuma e queria a informação correta sobre eles. O Dermotivin Foam original tem embalagem azul e é indicado para pele oleosa ou mista. O Dermotivin Foam Control, que é do que estamos falando, tem embalagem laranja e foi feito para peles muito oleosas. Paguei R$ 61 por ele na Drogasil.

Para terminar nossa conversa, uma coisa importantíssima: o Dermotivin Foam Control foi indicado pelo Dr. Cesar Cuono, dermatologista que recomendo muitíssimo. Se você se interessar pelo produto, por favor, pergunte sobre ele para seu médico de confiança antes de se aventurar na farmácia mais próxima de você. É mais seguro, econômico e sua pele e os dermatologistas ficam felizes da vida.

P.S.: Alô, Galderma. Procurei o Dermotivin Foam Control em drogarias e lojas de cosmético online e encontrei os demais produtos da linha, mas este, especificamente, anda raro. Fui na área de cosméticos do site do fabricante e nada. O produto está em falta?

Anúncios

Uma das últimas coleções lançadas lá fora pela M.A.C foi a Fashion Flower, e ela tem um apelo muito claro: é fofa. Hahahahaha! Bom, eu acho, pelo menos, já que as sombras têm um desenho muito lindo. E, à primeira vista, parecem também ter cores incríveis.

Aí encomendei, na Fabulous Store, as duas sombras que mais chamaram minha atenção, a Groundcover (que eu diria que é tipo um marrom acinzentado) e a Bows & Curtseys, um preto muito lindo, brilhoso e de fundo esverdeado. Comprei também o batom Ever Hip, coral lindo que eu queria possuir desde que foi lançado com uma embalagem maravilhosa. É edição limitada e, bom, me contento com minha embalagem normalzinha.

Minhas primeiras impressões? Gente, as sombras da M.A.C têm cores incríveis, de fato, mas a qualidade é muito irregular. Tentei fazer swatch da Groundcover e ela é tão pouco pigmentada que simplesmente não rolou; no olho, com primer, fica melhor, apesar de muito sutil. A Bows & Curtseys é melhor, mas ainda assim dá uma falhadinha, e na pele praticamente não dá pra ver o fundo verde. Meio decepção, sabe como?

Já o batom não me decepcionou em nada. Deve ser um dos tons de coral mais lindos que eu tenho! É super pigmentado e tem um acabamento que eu adoro, o cremesheen (que não é opaco, ele tem um pouco de brilho e é bem cremoso). Eu não fiz swatch porque não sei usar luz pra isso, então olhem que lindo ele é na boca da Christine, do Temptalia (vale dizer que é um dos únicos swatches que, nos lábios dela, ficam de fato parecidos com a cor do batom em mim!):

Vale dizer: ela, que sabe muuuuuuuuito mais do que eu, também fez swatches das sombras e teve impressões muito melhores que as minhas. Ela achou as sombras bem pigmentadas! Olha só as cores:

Imagem: Temptalia

Imagens: minha mesmo e Temptalia

Foto: Divulgação

A coleção Cham Pale, que foi lançada pela M.A.C lá fora em dezembro, está chegando fresquinha agora ao Brasil. É um atraso apenas razoável – e acho que foi mais rápido do que muitas outras! Considerando que muitos dos produtos não são tendências passageiras, mas podem ser usados como fundamentos de maquiagem, acho bastante ok, e estou feliz por ela ter chegado, afinal!

I Get No Kick Eye Kohl e Chez Chez Lame Special Highlight Reserve Powder

No começo do ano, tive a oportunidade de já comprar dois produtos dessa coleção, em uma encomenda pra família que viajava de férias. Escolhi o I Get No Kick Eye Kohl – um lápis de olho – e o iluminador Chez Chez Lame. (Gente, e o tanto que meu irmão de 11 anos – oi, Gui! – se divertiu lendo esses nomes engraçadinhos de produtos na minha listinha de encomendas? Ficou semanas falando disso, hahahahaha!)

São dois produtos que seguem bem o que eu percebi como sendo uma tônica da coleção: brilhantes, porém neutros. Comoassim? Bom. Vou começar pelo lápis I Get No Kick. Ele é descrito como um “nude metálico” e, bom, acho que é isso mesmo que ele é. Talvez eu chamasse de “champanhe”, não de “nude” (quero dizer que ele aparece mais do que um “nude”, sabe?), mas detalhes. De qualquer forma, “champanhe” é uma das palavras fortes na descrição da coleção – tanto do “clima” dela quanto de suas cores.

Swatches na pele; à esquerda, o lápis bege Duda Molinos, para efeito de comparação - viu como o da M.A.C é mais brilhante?

Olha como ele fica nos olhos:

 

É legal pra usar na linha d’água, mas por ser levemente cintilante serve como iluminador embaixo da sobrancelha e no cantinho interno do olho! Isso é o que eu mais adoro nele! As olheiras, infelizmente, não têm jeito, só rezando muito.

O outro produto, que considero um dos mais especiais da coleção, é o Chez Chez Lame, um dos Special Reserve Highlight, que são iluminadores com essa textura diferentosa e chique. Essa cor é um dourado com leves (muito, muito leves mesmo!) brilhos prateados. Eu não vejo nada de glitter (diferente do Belightful!), e acho um brilho lindo. (Tem ainda outra cor, o Rosé Ole, que eles dizem que funciona para todos os tipos de pele, e é mais rosado.)

Se esforcem pra ver/entender a cor, gente, tirar foto de iluminador é uma tristeza:

(Ai, que montagem linda!) O swatch no dedo está bem forte. Claro que, esfumando, não fica assim.

A coleção tem ainda sombras, paint pots (que não comprei e me arrependi, vou acabar comprando por aqui a cor Dangerous Cuvée, um cinza metálico), batons (todos metálicos ou cintilantes, acabamento frost ou lustre), gloss, rímel e outros lápis (bege/nude e preto). Tudo isso deveria, segundo a assessoria da marca, estar disponível desde o dia 01 de abril nas lojas da M.A.C; fui a uma delas e nada. Mas me ligaram de lá hoje (eu não atendi, dã!), imagino que seja pra avisar que os produtos chegaram – então em breve deve estar na Sacks também, corrão!

Não sei vocês, mas eu adoro maquiagem com um toque de cor. Um toque mesmo, mais do que aquelas que têm várias mil cores diferentes esfumadas juntas e tudo o mais. (Quer dizer, gosto dessas também, mas e a preguiça de criar e executar, né?) E na hora de animar instantaneamente um look, delineadores e lápis coloridos geralmente são seus melhores amigos.

Mas aí eu vi esse lançamento da coleção Rainbow, da Contém 1g, que trouxe mais uma opção: usar rímel colorido. Por que não?, pensei. Um dia passei em uma loja e trouxe comigo uma das cores – a que me pareceu mais usável, a princípio.

Mas vou dizer que fiquei uns bons quase dois meses antes de realmente usar, sei nem por que. Daí hoje, pensando no que fazer nessa sexta-feira de sol, lembrei dele. E gente, me surpreendi. Olha como ele é bonitinho:

E, além de bonitinho, dá uma alongada legalzinha (mas sei lá, é que meus cílios já são grandinhos, então pra mim ele é ok, não espere milagres, hein!), não borra, é relativamente fácil de tirar…

ih, nessa foto dá pra ver que deu uma borrada no cantinho, né? ops!

E não é tão espalhafatoso quanto eu pensei. Por um lado, a taxista e duas colegas de trabalho notaram na hora a cor diferentosa dele. Por outro, quando terminei de passar eu grudei a cara na cara da minha mãe e disse: “olha que legal meu olho” e ela disse: “o que que tem?”. Então não sei, né. Tô meio em dúvida. Mas o fato é que gostei, e agora pretendo usar mais vezes (e em investir em um de outra marca, talvez um roxinho, ameixa? É uma cor bem universal, eu acho, destaca os olhos!)

Ah: combinei o rímel azul com uma maquiagem quase natural: base (Boots nº7, um dia falo dela pra vocês!), pó (Mineralize Skinfinish Natural) e corretivo (Studio Sculpt), blush coral com microbrilhos (Warm Soul, M.A.C) e batom coral (Copacabana, Duda Molinos).

Ai, que gata, que modelo! Pfff...

 

Acharam muito anos 1980 ou têm coragem de arriscar?

Dá pra comprar na Sacks em 12 vezes!

Meses atrás fui convencida pela vendedora da Opaque a comprar, meio no impulso, o primer facial da Lancôme La Base Pro. Paguei muitos dinheiros (R$ 195) por ele com a promessa de que seria um produto revolucionário – mas havia testado apenas nas costas da mão, na loja, bem rapidamente. Cheguei em casa e testei novamente – um pump para cobrir o rosto todo, aplicado com a mão mesmo. Não foi tão revolucionário. Aliás, a revolução passou longe. Perguntei se a Lau conhecia o produto. “Nunca ouvi falar do primer da Lancôme, Fabs”. Droga. Dinheiro perdido.

Depois de passar um tempão abandonado no fundo do porta-luvas do meu carro (sem perguntas, ok? rs), resolvi testar o produto de novo num dia de bom humor. Com o pincel de pó (SS 150), espalhei três gotas do produto, uma em cada maçã do rosto e outra na testa. Em seguida, com o mesmo pincel, passei o Studio Fix (C3), da M.A.C.

Milagre, milagre! Nunca antes na história da minha rua houve uma pele tão digna! Meninas, juro: poros “reduzidos”, rosácea imperceptível, acabamento uniforme, pele lisinha de dar gosto. E a maquiagem ainda durou o dia todo. Imagina se o primer for usado com uma base realmente poderosa?

Com La Base Pro Primer no Oscar

 

 

Pra mim, temos aqui duas lições:
1) Nada de aplicar maquiagem e afins com os dedos, por mais normal que pareça. O pincel foi feito pra isso e garante 90% do sucesso na vida.

2) Comprou e não gostou? Antes de se desfazer do produto, espere uns meses e dê a ele uma nova chance. Nem sempre a primeira impressão é a que fica.

Descobri por aí que a maquiadora Jillian Dempsey usou o Lancôme La Base Pro para preparar a pele da Kate Winslet no Oscar 2009. E aí, gostaram do resultado?

No começo, eu nem ia fazer resenha dessa paleta de sombras, apesar de ela ser uma das minhas atuais obsessões de maquiagens. Não ia fazer por dois motivos: 1-achei que ela era edição limitada; 2-não vende no Brasil.

Bom, ela continua não vendendo no Brasil (hahahaha, oi, isso não posso resolver, desculpa), mas descobri dia desses, não lembro onde, que não é edição limitada. Só é difícil de achar e vive esgotada. Mas a Urban Decay repõe o estoque dela. O aviso no site da Sephora, por exemplo, diz que é um item com “demanda incomumente alta”. Mas se você ficar atrás, dá pra achar (foi o que eu e as fofas da Cherrie Cosmetics fizemos!)


Por que eu quero falar dessa paleta então, se ela é tão difícil de achar? Porque ela é simplesmente ma-ra-vi-lho-sa. Assim, sem exagero, as sombras da Urban Decay são as melhores que eu já usei. Melhores que M.A.C. Melhores que Chanel. Melhores que Lâncome.

Então, a Naked Palette tem 12 tons neutros, que vão desde o bege até o azul-petróleo (que daí já não é tão neutro, serve super pra um smoky eye!), passando por marrons, dourados e rosados. Além disso, vem com um mini Primer Potion e um lápis 24/7 Glided-On Eye Pencil, nas cores Zero (preto) e Whisky (marrom). Tudo isso por módicos (not) US$44. Ou, no meu caso, R$160,00 (ouch!).

As sombras são muuuito pigmentadas. Esses swatches aí em cima foram feitos tipo com uma passada, praticamente, e estão fiéis. E a seleção de cores é campeã: abrange desde looks totalmente neutros, tipo pra trabalhar, até looks para a balada, mais escuros e dramáticos. E além de pigmentadas, elas são bastante macias, logo, fáceis de esfumar.

Acho que essa paleta é um bom investimento tanto para quem está começando no mundo da maquiagem quanto para quem já tem outros produtos (oi!). Serve também para as básicas e para as que gostam de ousar. Ou seja: coringa.

Se vocês quiserem tentar, vale tentar encomendar com as meninas da Cherrie ou algumas das outras que viajam por aí e aceitam encomendas (Fricotes e Detalhes, Fashion Import e quetais).

Olha, muita gente já testou e resenhou esse produto por aí. (Duvida? Dá um Google no nome. Mas só depois de ler a minha! Hahahaha) Mas né, sei lá, não custa nada reforçar as minhas impressões e também ando meio sem assunto/tempo.

A linha Pro-V, da Pantene – da qual esse tubinho aí faz parte –, é indicada para “restauração intensa” (aka pessoas com o cabelo detonado). E a ampola promete “recuperar três meses de danos em três minutos”. Alguém que, como eu, nos últimos anos já tingiu o cabelo de preto, vermelho, loiro, tentou tingir de castanho por cima de tudo isso, alisou, desalisou, seca, faz babyliss, passa produtos e etc., só pode achar isso muito digno. E o que é mais digno ainda: custou só R$4,90.

Por algum motivo misterioso eu achei que o produto fosse ser tipo um creme-líquido. Mas não é não, ele é um creme-cremoso (Q), bem grossinho. Usei depois de usar o xampu e o condicionador da mesma linha, que já são bem hidratantes. Daí, medo dos medos: será que o cabelo vai ficar pesadão?

Diz na embalagem que cabelos médios a longos podem usar todo o conteúdo do tubinho. Mas, por causa do supracitado medo, não obedeci, e usei mais ou menos a metade (o que, na hora, já achei muito! Mas não foi, não, fica tranquila, tá). Daí massageei, selei o treco, deixei lá enquanto esfoliava o rosto e etc., e chegou a hora de enxaguar.

Gente, aí começou o encanto. Ele é daqueles cremes que fazem o cabelo ficar beeeeem molinho já no banho, sabe? Tipo, bem derretidinho. Resolvi secar com secador pra ver o efeito mais rápido e intenso. E foi então que minha paixão virou amor: o cabelo secou sem frizz, ficou liso, brilhaaaaante e, principalmente, continuou super macio! (Não sei se acontece com vocês, mas às vezes no banho parece que os fios vão ficar super soft e, depois que seca, não fica. Acontece?)

Não sei se vocês estão curtindo (fecebook feelings) essas fotos tanto quanto eu (hahahaha, oi, egocêntrica?), porque sei que é difícil saber se um cabelo está bem tratado vendo fotos. Mas veja bem: eu saí de casa tipo me amando esse dia, ok? E até pelo menos o dia seguinte ele continua super macio e, plus, cheiroso.

Estou usando esse tratamento mais ou menos uma vez por semana (se bem que revezo com outras máscaras, atualmente uma da L’Occitane). Com o xampu e o condicionador, que também são dignos, faço que nem com todos os outros meus: uso randomicamente, já que mantenho vários, em todas as faixas de preço.

Conclusão? Produtinho altamente recomendado para quem quer dar uma super hidratada nos cabelos. (Mas se o seu for d0 tipo mega oleoso, de repente não é o caso. Ou use um xampu para cabelos oleosos ou antirresíduos e essa máscara no lugar do condicionador – eu faço isso às vezes! Por R$4,90, vale a pena tentar, né?)

 


Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 17 outros seguidores

Atualizações Twitter