Beleza exterior

Archive for the ‘fotos’ Category

Eu tinha prometido que ia fazer esse tutorial no vídeo desse post aqui. E, bom, eu sou meio enrolenta, mas não falhei: aqui está. Num momento oportuno, porque não quero nem ouvir falar de galera não sabendo se maquiar em 2011. Nem vem, gata, essa aqui é fáaaaacil de doer, e é só você ter duas ou três cores basiquinhas.

Eu vou usar esse quarteto da Chanel, o Kaska Beige (não sofram, usa qualquer cor parecida, gata!). Só deixo de fora a mais escura, porque minha ideia é um look pro dia. Também vocês podem ver que só tem dois pincéis: um pra passar a sombra (o 239, M.A.C) e um pra esfumar (o 224, também M.A.C).

Vamos lá, então, suas lindas:

Vou começar com um primer, porque essa sombra que eu usei é ryca, mas a pigmentação… quén-quén-quén. Não muito digna. Se a sua for suuuper ótima, pode pular essa fase, tá, tem problema não.

Usando a sombra média, que é um tom meio cobre claro, cubro a pálpebra móvel inteira (pincel 239).

Daí você pega o pincel gordinho (224), e usa a sombra média, que é um marrom muito clarinho. Esfuma no côncavo e acima dele, pra criar bem um sombreado leve. É um efeito que quase não se vê, mas que dá um super destaque aos olhos.

Apenas se quiser, use o mesmo pincel (dando uma limpadinha num lencinho ou nas costas das mãos mesmo) para pegar a sombra mais clara e iluminar o arco da sobrancelha.

O olho fica completo com lápis bege (Duda Molinos) na linha d’água, curvex (Shu Uemura) e rímel (Marvelous Mineral, Kiehl’s).

E o look final, com blush rosado (Fleur Power, M.A.C) e batom também rosado, mas meio cor de boca (Rouge Coco Mademoiselle, Chanel).

Anúncios

M.A.C Crosswires, Duda Molinos Copacabana e Vult 14

Eu já mostrei aqui nesse post que batom laranja e coral tá com tuuudo, né? Então decidi pegar três de faixas diferentes de preços para comparar, e mostrar quais são as vantagens e desvantagens de cada um – e, principalmente, mostrar para quem está pensando em comprar como são as cores de cada. Vou começar pelo mais caro, indo para o mais barato, e aí a gente vai comparando todos.

Na foto dos swatches dá pra ver bem as diferenças e familiaridades entre eles (apesar de ligeiramente escura, os tons estão bem fiéis).

M.A.C Crosswires, Duda Molinos Copacabana e Vult 14

Crosswires, M.A.C


Pontos positivos: Os batons da M.A.C estão, na minha opinião, entre os melhores do mercado, por causa da cobertura, cor e cheiro ótimos. O acabamento desse é Cremesheen, o que significa que ele é mais cremoso, mas mesmo assim tem uma cor bem viva. Não é opaco, ele tem como se fosse um brilho molhado beeeeem sutil (mesmo). Tenho vários nesse acabamento, e é um dos meus preferidos, por ser muito fácil de usar, já que não resseca nada nada a boca. A duração é boa, até umas quatro horas ele segura. A cor dele é bem linda: dos três, é o coral mais avermelhado, mas ainda assim não fica uma cor totalmente cheguei, sabe?

Pontos negativos: Bom, sendo bem sincera, na comparação, o ponto negativo dele fica sendo mesmo o preço, mais do que o dobro do Duda Molinos – que, para os padrões nacionais, muita gente já acha carinho. A cor, apesar de eu adorar, talvez seja a mais “assustadora” das três, para quem está começando a usar e procura um coral discreto. (Eu tinha um da M.A.C, o Ravishing, que era mais nesse estilo coral, mas ele sumiu. Ninguém mandou ter um trilhão de batons, né. Bom, fica a dica pra quem quiser experimentar outra cor.)

Onde comprar: Na Sacks ou nas lojas da M.A.C, por R$69 (na Sacks atualmente está esgotado). No exterior, por US$14

Copacabana, Duda Molinos


Pontos positivos: A embalagem é uma das minhas favoritas, tem aquele clique que eu mostrei aqui nesse post. É uma embalagem bem classuda, sabe? O acabamento é matte, o que significa que 1) não tem nenhum brilho whatsoever e 2) a cor acaba durando mais tempo – tipo umas quatro a cinco horas, sem retoque (vale dizer que, em mim, que falo e bebo água como uma louca do apocalipse, isso é realmente muito tempo). Em termos de tom, me parece um meio termo entre os outros dois, o que eu gosto bastante.

Pontos negativos: Vou ser paradoxal, mas o mesmo ponto positivo pode se tornar negativo: o acabamento matte também significa que 3) o batom fica bem difícil de passar, especialmente se a sua boca é seca. Pra mim, sinceramente, é o único ponto mais ou menos negativo (mais ou menos porque pra mim nem é, já que pra mim é sussa passar batom matte!).

Onde comprar: Na Loosho.com, por R$29,60 (ou na farmácia da Riviera de São Lourenço por R$20, gente, sei lá por que eles vendem tudo mais barato! Hahahahaha)

Vult, cor 14


Pontos positivos: A cor é foooofa até dizer chega. O coral mais versátil e sutil e tudo o mais dos três. Então, se você ainda não está assim super convencida da moda do laranja, vale a pena tentar esse. Até porque, gente, custa apenas R$6,90. Ou seja: um décimo do preço da M.A.C. Ele não é completamente matte, mas também não tem brilho. (Eu sei, comassim, Laura? Sei lá, gente, mas é assim.) Inclusive, no site da Loosho.com, ele está descrito como acabamento cintilante – o que ele não é de jeito nenhum, ok, como vocês podem ver pelas fotos.

Pontos negativos: A cor não fica totalmente boa com uma passada, é preciso voltar com o batom para uma cobertura perfeita. E a embalagem, gente. Mais pobreza impossível. Sério, Vult, quanto custaria pra fazer uma que simplesmente não fosse desse plástico vagabundo que quebra na primeira jogada na bolsa (caso da minha, oi) ou uma tampa que cobrisse totalmente a bala do batom? A duração é ok, de duas a três horas em mim. De qualquer forma, sinceramente, por esse preço, tenho nem coragem de reclamar muito.

Onde comprar: Na Loosho.com, ou em várias farmácias por aí, por R$6,90

Há algum tempo, a Avon mandou lá pra redação os rímeis mais bacanas deles, numa caixa super bonitinha e tals. Eles estavam lançando a máscara SuperExtend (então vocês veem que já faz uns dois meses, a pessoa adiantada, hahahaha), e logo pensei em fazer uma batalha comparando todas. Isso porque eu adoro as máscaras da Avon. Tipo, acho que é o melhor produto que eles fabricam, sabe. E daí queria saber se essas novas eram tão boas quanto as que eu já tenho.

Bom, então, depois de muito tempo, coloquei em prática, e nessa semana usei uma delas por dia, pra ver se cada uma cumpria o prometido e, no fim, qual é a mais bacana. E já tirei minhas conclusões. Quer ver?

Avon SuperExtend
Promessa: Um suuuuper alongamento de até 55% (como medir, néam?), com efeito cílios postiços e fibras especiais que promovem um efeito natural. É a prova d’água.

Realidade: Hmmm. Olha. Vou falar a verdade. Apesar de ser o lançamento, e ter essa coisa das fibras especiais (Q), não achei nada de cílios postiços aí. De todas, acho inclusive a mais “dia a dia”. Isso porque, de fato, é muito mais de alongamento do que de volume, então acho que acaba chamando menos atenção, especialmente se você já tem cílios mais longuinhos, como os meus. A textura dela é bem líquida, a mais líquida das três – tanto é que borrou na hora de aplicar. De qualquer forma, por ser à prova d’água, aguentou mais do que dignamente um dia de sol subsaariano, e mesmo assim não foi horrível de tirar.

Preço: 22,00

Avon SuperCurlacious

Promessa: O negócio aqui é dar uma suuuuper curvatura aos cílios, e mantê-la por tipo 12 horas. Ela também é à prova d’água.

Realidade: Essa foi a máscara lançada logo antes da Extend, e tem aquele aplicador curvadinho bem legal, sabe? Eu usei sem curvex e… Bom, não é que meus cílios não ficaram curvados. Mas não ficaram 100% MAIS curvados, como promete a Avon, sabe? E não segurou essa curvatura o dia inteiro, não. De qualquer forma, ela é só um tiquinho mais grossa na fórmula que a Extend, e também segura dignissimamente durante todo o dia, e também não é chata pra tirar. Ela já é mais legal (pra mim, que sou uma drag queen disfarçada), porque dá um tiquinho mais de volume.

Preço: R$19,00

Avon SuperShock

Promessa: Volume inteeeenso e imediato, fórmula com microfibras que se expandem (Q2)

Realidade: Olha, eu me sinto até meio mal, porque já imaginava como ia ser o fim dessa batalha, confesso. hahahahaha. Eu realmente AMO a SuperShock. É uma das minhas máscaras preferidas e olha que eu tenho umas 300. Então, claro que né. Eu fui lá, e comparei. Mas gente. A coisa do volume intenso é uma realidade real mesmo. Podem ver nas fotos como ela é a mais dramática das três. E, apesar de ser uma máscara de volume, ela alonga meus cílios mais que as outras! Como lidar, Avon? E ah, é a fórmula mais grossa de todas as três, não borra nada, apesar de não ser à prova d’água. Quer dizer. Amor em forma de tubinho.

Preço: R$19,00

Conclusão

Vejam bem, as três são boas máscaras, depende muito do seu estilo. Para as discretas, recomendo a SuperExtend. Ela é digna, só não é meu estilo. Mas vou usar, sim, talvez combinada com outras mais grossas (só cuidado pra não borrar na aplicação). A SuperShock pode comprar mesmo. O pincel grossão assusta (né, gente), mas gente, é só colocar no olho e passar uma camada e pá, linda, vai embora. Eu pularia a CurlAcious, porque acho um meio-termo meio sem graça, não faz muuuuito bem nem uma coisa nem outra, sabe?

Finalmente, depois de idas quase diárias às lojas Americanas, encontrei a coleção Aquarela Tropical, da Colorama – aquela que é toda cheia de esmaltes pastel, sabem? Pois é. E daí já comprei logo todas as cores que estavam disponíveis – faltaram o Azul Celeste e o Rosa Romântica, mas já me dei por satisfeita por enquanto.

E aí veio a hora difícil da escolha na hora de ir à manicure no sábado seguinte. O que passar?! Então, decidi pelo queridinho desde que vi as fotos de divulgação: o Amarelo Pop Art. Um amarelo que promete não deixar manchas? Camada única E pastel E amarelo? Óun (coraçãozinho com as mãos). E para os pés escolhi o Rosa Colonial, que é super gracioso.

E daí, entreguei pra manicure, toda feliz e contente e… fail. A primeira camada não foi suficiente pra ficar perfeito, como promete o vidrinho. Pra cobrir as manchinhas que ficam nas ondulações naturais da unha, nos vimos obrigadas a passar outra camada, o que vai contra o propósito da coleção (hahahahaha, propósito do esmalte, aham, senta lá) e o deixou mais grosso do que o ideal.*

Por enquanto (cinco dias depois) ainda não descascou quase nada (leia-se uma unha isolada na mão direita por passar o dia digitando). Como ele promete ser de longa duração, isso é bom. O mais chato mesmo mesmo foi que, talvez por ter passado duas camadas, ele ficou todo marcadinho, tipo com risquinhos, sabe? Acho que passar um extrabrilho resolve. Mas queria que ele fosse mais fiel à propaganda. Vamos ver as outras cores, né?

*Pra ser justa, não sei se isso é culpa do esmalte, da minha unha ou da minha manicure. Mas me deixa irritada do mesmo jeito. Hahahaha.

 

Eba, finalmente mais um tutorial pra vocês se divertirem quando quiserem um make de balada bem colorido. Porque com esse de hoje nem eu saio de dia, tá. Ele é bem chamativo, mas é maravilhoso.

Como sempre, eu usei várias sombras diferentes, de várias marcas diferentes também, mas você não precisa e nem deve se apegar a isso. Olha quais são os tons, vê na sua gavetinha ou passa na farmácia ou na perfumaria ou caça na internet e copia mesmo. Para os pincéis (os meus são M.A.C.) vale a mesmíssima coisa: adapte o que você tem aí (desde que não seja aquela esponjinha uó!).

E também sempre vale lembrar que se você não entender o que eu tô falando aqui no meio, a gente tem um dicionário maravilhoso (hahahahaha).

A estrela desse tutorial é o pigmento Teal, da M.A.C. Então, uma dica antes de mais nada: pigmentos e sombras soltas fazem sujeira. Então, você pode deixar pra fazer a pele depois ou colocar sempre um lencinho de papel abaixo do olho na hora de aplicar. Ou as duas coisas, hahahaha. Eu também já começo o make com primer (Urban Decay Primer Potion) na pálpebra – nesse caso, só para fixar melhor, porque a cor já é bem intensa. Vamos lá:

Começamos passando esse verde maravilhoso (pigmento Teal, da M.A.C.), com o pincel 252, de cerdas sintéticas, em toda a pálpebra móvel.

Depois, vamos usar o pincel 266, para passar a sombra Creep, um azul escuro com fundo grafite (?), da paleta Naked, da Urban Decay (vai ter post sobre ela, porque é maravilhosa!), no canto externo e côncavo. Nesse passo pode deixar marcado, não se preocupe com perfeição…

… Porque agora a gente vai pegar um pincel mais gordinho e fofinho (aqui, o 224), pra esfumar tuuuudo. Pode esfumar bastante, com vontade. Se achar que ficou sem cor, repete o passo anterior e esfuma de novo!

Hora do preto! Vamos usar um pincel tipo lápis (219) para passar sombra preta opaca (Carbon, M.A.C.) no “v” do canto externo, só pra dar uma profundidade bacana.

Pra iluminar, sombra um tom mais clara que sua pele (Virgin, Urban Decay), também opaca, no osso da sobrancelha e cantinho interno do olho (usei o pincel 275, mas só porque era o que estava limpo, pode usar qualquer um! Hahahaha)

Pra finalizar, curvex (Shu Uemura), lápis azul-marinho (Maybelline Liner Express) rente aos cílios inferiores e cantinho externo dos superiores e rímel (DiorShow Iconic). E pronto! (não reparem no borrãozinho de rímel no cantinho. Ops)

Make completa: a pele foi feita com base Teint Resist, Yves Saint-Laurent; pó Mineralize Skinfinish Natural, M.A.C., corretivo Studio Sculpt, M.A.C.,; blush Orgasm, Nars; iluminador Belightful, M.A.C. O batom é o Myth, da M.A.C.

E aí, meninas, gostaram? Será que dá pra se arriscar?

Se tem uma tendência de beleza que eu gosto, entre as várias que apareceram nas passarelas de verão 2011 nos últimos meses, é a dos batons coloridos e vibrantes. É uma tendência, aliás, que tem muito a ver com o nosso clima de estações quentes: cores neon, que sozinhas são suficientes pra alegrar uma produção. Pense num batom laranja, por exemplo, com um vestido branco, simples (que é a cara do verão, né). Ou com uma saia florida. Não é uma graça?

Marc Jacobs, Christian Dior e Prada (spring 2010)

Marc Jacobs, Christian Dior e Prada (spring 2010)

E o laranja parece que é mesmo uma das cores que mais vão dar o que falar na temporada. A Prada, sempre trend setter, já tinha usado no desfile de verão 2010, há um ano. E Marc Jacobs e Christian Dior foram alguns dos que repetiram na temporada 2011 (o último de um jeito bem passarela, combinando com sombra forte). Sei que é uma cor que amedronta várias meninas, pela ousadia, então reuni algumas referências para mostrar que ela pode ser usada, sim, por todas.

Ai, suas lindas!

Ai, suas lindas!

Scarlett Johansson já é maravilhosa sozinha, e não teve medo de colocar cor mesmo tendo bocão. Pode sim, viu? E o tom escolhido por ela dela é bem neon, fica maravilhoso para a noite, por exemplo (eu só não vestiria vermelho, porque aí já acho demais, mas compreendo). Já a igualmente maravilhosa January Jones optou por um tom mais coral, que ficou perfeito com delineador gatinho e vestido azul (uma das minhas combinações favoritas é azul + amarelo ou laranja, sabia?).

 

Mais lindas!

Mais lindas!

Jessica Biel e Beyoncé também apareceram com a cor, e provaram que o laranja é democrático e funciona em todos os tons de cabelo e pele – o da Beyoncé é mais voltado para o coral, e o da Jessica tem fundo avermelhado.

Para adotar a tendência, existem váaaaarias opções no mercado. Em todas as faixas de preço e “achabilidade”. Por isso, separei quatro que eu aprovo (três delas eu possuo – o que não tenho é o da Natura, mas sei por outras pessoas que é bem digno!):

1 – M.A.C. Morange Lipstick: o laranja mais laranja de todos, cobertura Amplified, ou seja, cheia de cor. É para as ousadas. R$69
2 – Yves Saint-Laurent Rouge Volupté, cor Orange Frisson: é um luxinho. A cor é maravilhosa, a cobertura é uma delícia e a embalagem é um caso de amor à parte. R$149,90
3 – Batom Duda Molinos, cor Bossa: um coral super usável e fofo, cobertura mate, que eu amo (tem swatch dele aqui). R$30 (em média!)
4 – Batom Natura Aquarela, cor 06. Opção boa e barata para aderir à tendência. R$13,60 (e, como esse eu ainda não testei, deixo aqui um link pra vocês verem resenha e fotos)

Fotos: Style.com; Divulgação; Loosho.com e Reprodução

Eu sei que todo mundo adora esmalte, então essa é minha seção favorita do blog porque é muito fácil de fazer porque eu adoro agradar minhas leitoras. Então vim mostrar hoje dois esmaltes da coleção Fashion, da Colorama, que está uma coleção bem linda, ó:
DivulgaçãoO primeiro que eu usei na verdade foi há umas quatro semanas, mas eu não tinha postado porque justamente queria mostrar os dois juntos (e tive um surto de desleixo e não fiz minhas unhas desde então, só ontem, me deixa gente). O Hippie Chic é possivelmente minha cor favorita para o verão, dado meu amor incondicional por esmaltes azuis.

 

Não é uma coisa querida? Não te dá vontade de ir pra praia?
Não é uma coisa querida? Não te dá vontade de ir pra praia?

O segundo que eu escolhi e que igualmente ganhou espaço no meu coração colorido é o Militar, a maior teindêincia do mundo da moda e da beleza nas últimas semanas (gente, tendência é uma coisa um pouco irritante, do nada todo mundo usa e pira e tals, eu sei, mas não posso fazer nada, é verdade e agora vocês têm que usar verde-militar agora-já. Não sou eu que faço as regras, galere).

 

Tendência pras unhas
Tendência pras unhas

O que eu gosto nesse verde é que acho um jeito fácil de quem não é acostumada a essas modinhas coloridas começar a adotar, porque acho ele até meio discreto, sabe? No sentido de que não é uma cor viva, é mais apagadinha.

*As fotos não estão as mais fiéis, mas estão ok, considerando que eu só consigo tirar com flash, porque sem não dá pra ver nada. Faz assim, ó: olha a foto de divulgação, olha minha unha e pensa num meio termo. Na vida real a cor é essa.

Update: gente, esqueci uma coisa super importante! O Militar não sei, porque passei há dois dias só, mas queria dizer que o Hippie Chic ficou praticamente intacto nas minhas unhas durante tipos uns dez dias. Serião. Dez-di-as. É um milagre, espero que esse milagre alcance vocês também, amém.


Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 17 outros seguidores

Atualizações Twitter

Anúncios