Beleza exterior

Archive for the ‘batom’ Category

Uma das últimas coleções lançadas lá fora pela M.A.C foi a Fashion Flower, e ela tem um apelo muito claro: é fofa. Hahahahaha! Bom, eu acho, pelo menos, já que as sombras têm um desenho muito lindo. E, à primeira vista, parecem também ter cores incríveis.

Aí encomendei, na Fabulous Store, as duas sombras que mais chamaram minha atenção, a Groundcover (que eu diria que é tipo um marrom acinzentado) e a Bows & Curtseys, um preto muito lindo, brilhoso e de fundo esverdeado. Comprei também o batom Ever Hip, coral lindo que eu queria possuir desde que foi lançado com uma embalagem maravilhosa. É edição limitada e, bom, me contento com minha embalagem normalzinha.

Minhas primeiras impressões? Gente, as sombras da M.A.C têm cores incríveis, de fato, mas a qualidade é muito irregular. Tentei fazer swatch da Groundcover e ela é tão pouco pigmentada que simplesmente não rolou; no olho, com primer, fica melhor, apesar de muito sutil. A Bows & Curtseys é melhor, mas ainda assim dá uma falhadinha, e na pele praticamente não dá pra ver o fundo verde. Meio decepção, sabe como?

Já o batom não me decepcionou em nada. Deve ser um dos tons de coral mais lindos que eu tenho! É super pigmentado e tem um acabamento que eu adoro, o cremesheen (que não é opaco, ele tem um pouco de brilho e é bem cremoso). Eu não fiz swatch porque não sei usar luz pra isso, então olhem que lindo ele é na boca da Christine, do Temptalia (vale dizer que é um dos únicos swatches que, nos lábios dela, ficam de fato parecidos com a cor do batom em mim!):

Vale dizer: ela, que sabe muuuuuuuuito mais do que eu, também fez swatches das sombras e teve impressões muito melhores que as minhas. Ela achou as sombras bem pigmentadas! Olha só as cores:

Imagem: Temptalia

Imagens: minha mesmo e Temptalia

Anúncios

Taí um negócio que a Chanel sabe fazer, viu: lançar umas cores (de esmalte, de batom, whatever) e deixar todo mundo meio louca-do-quartinho atrás. Na maquiagem, o último caso foi o batom Rouge Allure Génial, um coral que é bem cara de verão e foi lançado na coleção Les Pop-Up – a mesma que teve o esmalte Nouvelle Vague.

Mas então daí que vejam vocês: não basta querer um batom Chanel, tem que ter disposição de pagar insanos US$32 – ou ainda mais insanos R$120 – nele. (Sem julgamentos aqui, porque cara. Sou eu falando. Cês acham que eu não sou a insana-mãe de todas as insanidades?) Depois que você decide fazer isso, ainda tem outro problema: encontrar o raio do batom, que a essas alturas já esgotou, virou item de colecionador etc. etc.

E aí toda essa ladainha pra, primeiro, agradecer ao meu bondoso pai que, com muito amor e resignação, encontrou um Génial remanescente numa loja da Chanel em Cannes, nas férias dele, e me trouxe. (Quem tem família tem tudo, né, gente.) E daí eu abri o batom e… uau, ele é lindo, incrível, valeu toda essa peregrinação atrás dele. Olha só:

Sente o drama das minhas fotos cada vez mais artísticas! hahaha

Mas aí olhei, passei na mão, usei uma noite e percebi que… Eu tinha comprado um muito parecido tipo uma semana antes. Ops. Hahahahaha! Era o Báli Intenso, recém-lançado pela Contém 1G. Gente, tão vendo? Se você também era a louca-do-quartinho, resolvi seus problemas! Eles são tipo irmãos, mesmo:

Da mesma família, né?

Na boca ficam ainda mais idênticos. Melhor de tudo: a cobertura do Báli é ótima, a duração de ambos é bastante parecida (em torno de quatro a cinco horas, o que é uma boa média para um batom que nem é matte nem nada). E o preço, né, gente? Custa R$39, o que ok, não é uma pechincha, mas também não é um absurdo para um batom de boa qualidade e cor incrível. E tem loja da Contém 1G em todo canto, olha aqui.

E antes de possuir o Génial, eu já tinha achado um dupe pro próprio Báli: o Coral Gum, que vem no Kit de Batons Rosa Chiclete, da Tracta (esse kit fofo aqui, que ainda tenho que resenhar!). Ele é mais claro e menos rosa do que o Báli e o Génial, puxa mais para o coral mesmo. E a cobertura é um tiquinho mais falhada e menos duradoura. Mas também, é bem mais barato: por R$35, você leva três cores de batom. Bom, né?

Agora é só escolher um coral pra chamar de seu durante o verão.

 

Olá, pessoas.
Pois é, apareceu a margarida… Final de ano em vida de professora é isso mesmo: correria total, completa e irrestrita. Se eu sobreviver a isso, o resto vai-que-vai…
Bom, mas vamos falar daquele assunto de que tanto gostamos, não é? Maquiagem.
Antes de começar, quero dizer que não esqueci minha promessa sobre um post falando de alergia a esmaltes e hipoalergênicos. Mas é que eu não pude fazer a unha esta semana e estou com alergia de alguma coisa (Ah, sério? Você, Ana Paula, com alergia? Não brinca…), por isso minha unhas estão terríveis e eu jamais teria coragem de assustar vocês fotografar.

Mas voltando ao que interessa, encomendei tem um tempinho umas coisinhas da coleção Venomous Villains, pareceria da M.A.C com a Disney. Confesso que fiquei, no início, muito mais empolgada com as embalagens mega fofas que com as cores dos produtos (Consumo consciente? Não trabalhamos!).


Mas é óbeveo que meu cartãozinho não se aguentou e arrematei umas preciosidades (Smeagol feelings).
 
Sombra Mineralize She who dares: É minha primeira sombra mineralize da M.A.C, sabe-se-lá-o-porquê. Ela é em tons de azul petróleo e verde musgo (Gente, não confiem muito nessa pessoa descrevendo cores, ok? Loira e disléxica…). Vou dizer que gostei, mas só. Não é a cor mais bonita de todos os tempos e, pra mim, brilha demais. Sei lá, eu tenho medo de sombra colorida (quando eu crescer vou ser igual à Laurinha com suas sombras lindonas, juro…).
Blush Bite of an apple: Esse é lindeza total. Sou suspeita, pois amo blushes, mas tem uma cor meio coral-avermelhado (lá vem ela com essa descrição meia-boca!). Enfim, é lindo, é rhyco, é blush…
Batom Hearthless (Amplified): Vermelão lindo de morrer. Com uma pegada meio vinho. Elegantérrimo. Amo batom vermelho.
Batom Toxic Tale (Satin): Coral mais lindo do mundo. Batom para dormir junto no verão.

Toxic Tale, Hearthless, She Who Dares (verde e azul), Bite of An Apple

Eu tentei fazer umas amostras de cores, mas não sei se fui muito feliz (relevem, vai… minha primeira tentativa). Mas prometo que, assim que usar as coisinhas, fotografo procês, tá?
Bom, people, é isso.
Beijinho,
Ana Paula

Pitaco da Lau: Gente, essa coleção é linda mesmo. Só tenho um comentário a fazer: também comprei o Toxic Tale, e aviso às meninas desesperadas para comprá-lo que ele é igualzinho ao Coral Polyp (que também foi edição limitada!). (Como seria bom eu ter percebido antes de comprar, né? pffff!). E invejo muito esse blush da Ana, se quebrar foi meu olho gordo, aviso já!

M.A.C Crosswires, Duda Molinos Copacabana e Vult 14

Eu já mostrei aqui nesse post que batom laranja e coral tá com tuuudo, né? Então decidi pegar três de faixas diferentes de preços para comparar, e mostrar quais são as vantagens e desvantagens de cada um – e, principalmente, mostrar para quem está pensando em comprar como são as cores de cada. Vou começar pelo mais caro, indo para o mais barato, e aí a gente vai comparando todos.

Na foto dos swatches dá pra ver bem as diferenças e familiaridades entre eles (apesar de ligeiramente escura, os tons estão bem fiéis).

M.A.C Crosswires, Duda Molinos Copacabana e Vult 14

Crosswires, M.A.C


Pontos positivos: Os batons da M.A.C estão, na minha opinião, entre os melhores do mercado, por causa da cobertura, cor e cheiro ótimos. O acabamento desse é Cremesheen, o que significa que ele é mais cremoso, mas mesmo assim tem uma cor bem viva. Não é opaco, ele tem como se fosse um brilho molhado beeeeem sutil (mesmo). Tenho vários nesse acabamento, e é um dos meus preferidos, por ser muito fácil de usar, já que não resseca nada nada a boca. A duração é boa, até umas quatro horas ele segura. A cor dele é bem linda: dos três, é o coral mais avermelhado, mas ainda assim não fica uma cor totalmente cheguei, sabe?

Pontos negativos: Bom, sendo bem sincera, na comparação, o ponto negativo dele fica sendo mesmo o preço, mais do que o dobro do Duda Molinos – que, para os padrões nacionais, muita gente já acha carinho. A cor, apesar de eu adorar, talvez seja a mais “assustadora” das três, para quem está começando a usar e procura um coral discreto. (Eu tinha um da M.A.C, o Ravishing, que era mais nesse estilo coral, mas ele sumiu. Ninguém mandou ter um trilhão de batons, né. Bom, fica a dica pra quem quiser experimentar outra cor.)

Onde comprar: Na Sacks ou nas lojas da M.A.C, por R$69 (na Sacks atualmente está esgotado). No exterior, por US$14

Copacabana, Duda Molinos


Pontos positivos: A embalagem é uma das minhas favoritas, tem aquele clique que eu mostrei aqui nesse post. É uma embalagem bem classuda, sabe? O acabamento é matte, o que significa que 1) não tem nenhum brilho whatsoever e 2) a cor acaba durando mais tempo – tipo umas quatro a cinco horas, sem retoque (vale dizer que, em mim, que falo e bebo água como uma louca do apocalipse, isso é realmente muito tempo). Em termos de tom, me parece um meio termo entre os outros dois, o que eu gosto bastante.

Pontos negativos: Vou ser paradoxal, mas o mesmo ponto positivo pode se tornar negativo: o acabamento matte também significa que 3) o batom fica bem difícil de passar, especialmente se a sua boca é seca. Pra mim, sinceramente, é o único ponto mais ou menos negativo (mais ou menos porque pra mim nem é, já que pra mim é sussa passar batom matte!).

Onde comprar: Na Loosho.com, por R$29,60 (ou na farmácia da Riviera de São Lourenço por R$20, gente, sei lá por que eles vendem tudo mais barato! Hahahahaha)

Vult, cor 14


Pontos positivos: A cor é foooofa até dizer chega. O coral mais versátil e sutil e tudo o mais dos três. Então, se você ainda não está assim super convencida da moda do laranja, vale a pena tentar esse. Até porque, gente, custa apenas R$6,90. Ou seja: um décimo do preço da M.A.C. Ele não é completamente matte, mas também não tem brilho. (Eu sei, comassim, Laura? Sei lá, gente, mas é assim.) Inclusive, no site da Loosho.com, ele está descrito como acabamento cintilante – o que ele não é de jeito nenhum, ok, como vocês podem ver pelas fotos.

Pontos negativos: A cor não fica totalmente boa com uma passada, é preciso voltar com o batom para uma cobertura perfeita. E a embalagem, gente. Mais pobreza impossível. Sério, Vult, quanto custaria pra fazer uma que simplesmente não fosse desse plástico vagabundo que quebra na primeira jogada na bolsa (caso da minha, oi) ou uma tampa que cobrisse totalmente a bala do batom? A duração é ok, de duas a três horas em mim. De qualquer forma, sinceramente, por esse preço, tenho nem coragem de reclamar muito.

Onde comprar: Na Loosho.com, ou em várias farmácias por aí, por R$6,90

Se tem uma tendência de beleza que eu gosto, entre as várias que apareceram nas passarelas de verão 2011 nos últimos meses, é a dos batons coloridos e vibrantes. É uma tendência, aliás, que tem muito a ver com o nosso clima de estações quentes: cores neon, que sozinhas são suficientes pra alegrar uma produção. Pense num batom laranja, por exemplo, com um vestido branco, simples (que é a cara do verão, né). Ou com uma saia florida. Não é uma graça?

Marc Jacobs, Christian Dior e Prada (spring 2010)

Marc Jacobs, Christian Dior e Prada (spring 2010)

E o laranja parece que é mesmo uma das cores que mais vão dar o que falar na temporada. A Prada, sempre trend setter, já tinha usado no desfile de verão 2010, há um ano. E Marc Jacobs e Christian Dior foram alguns dos que repetiram na temporada 2011 (o último de um jeito bem passarela, combinando com sombra forte). Sei que é uma cor que amedronta várias meninas, pela ousadia, então reuni algumas referências para mostrar que ela pode ser usada, sim, por todas.

Ai, suas lindas!

Ai, suas lindas!

Scarlett Johansson já é maravilhosa sozinha, e não teve medo de colocar cor mesmo tendo bocão. Pode sim, viu? E o tom escolhido por ela dela é bem neon, fica maravilhoso para a noite, por exemplo (eu só não vestiria vermelho, porque aí já acho demais, mas compreendo). Já a igualmente maravilhosa January Jones optou por um tom mais coral, que ficou perfeito com delineador gatinho e vestido azul (uma das minhas combinações favoritas é azul + amarelo ou laranja, sabia?).

 

Mais lindas!

Mais lindas!

Jessica Biel e Beyoncé também apareceram com a cor, e provaram que o laranja é democrático e funciona em todos os tons de cabelo e pele – o da Beyoncé é mais voltado para o coral, e o da Jessica tem fundo avermelhado.

Para adotar a tendência, existem váaaaarias opções no mercado. Em todas as faixas de preço e “achabilidade”. Por isso, separei quatro que eu aprovo (três delas eu possuo – o que não tenho é o da Natura, mas sei por outras pessoas que é bem digno!):

1 – M.A.C. Morange Lipstick: o laranja mais laranja de todos, cobertura Amplified, ou seja, cheia de cor. É para as ousadas. R$69
2 – Yves Saint-Laurent Rouge Volupté, cor Orange Frisson: é um luxinho. A cor é maravilhosa, a cobertura é uma delícia e a embalagem é um caso de amor à parte. R$149,90
3 – Batom Duda Molinos, cor Bossa: um coral super usável e fofo, cobertura mate, que eu amo (tem swatch dele aqui). R$30 (em média!)
4 – Batom Natura Aquarela, cor 06. Opção boa e barata para aderir à tendência. R$13,60 (e, como esse eu ainda não testei, deixo aqui um link pra vocês verem resenha e fotos)

Fotos: Style.com; Divulgação; Loosho.com e Reprodução


Ontem eu recebi uma ligação querida, da Jade, lá da M.A.C. do Shopping Paulista, me avisando que hoje eles receberiam os produtos da coleção In The Groove, que lá fora foi lançada em julho (é, demora assim mesmo).

Então, eu ainda não pude ir lá ver de pertinho tudo, mas queria contar quais são meus produtos-desejo da coleção, que é composta principalmente de produtos mineralize, como sombras, blushes e skinfinishes.

(Novamente: como eu não vi, muito da minha opinião é baseada em resenhas, principalmente as da Temptalia, que tem todas as fotos, swatches e tudo.)

Os trios de sombras mineralize (R$80) são bem pigmentados, e vêm em váaaarios tons. O meu favorito, por enquanto, é o In The Groove, ó:

Os Mineralize Skinfinish (R$121) são produtos maravilhosos, que servem como blush ou iluminador (apesar de que as cores dessa coleção são escuras, então devem funcionar melhor mesmo como blush). E o mais desejo-instantâneo é esse aqui, ó, o Stereo Rose, que inclusive esgotou super rapidinho lá fora e deve acontecer a mesma coisa aqui:


E, por fim, os batons (R$69). Essa coleção tem dois incríveis em tons da temporada: o Jazzed, que é coral, e o All Styled Up, rosa.

Aticei a curiosidade consumista? Acho que eu vou na loja essa semana, fica a dica pras leitoras!

Fonte das Fotos: Temptalia e Daily Beauty Tips

Depois que eu comprei meu primeiro batom do Duda Molinos, o Bossa, achei que ele era muuuuito parecido com um que eu já tinha, e que é bem um dos meus queridinhos: o Please Me, da M.A.C.

Então, decidi comparar os dois. A cor e o acabamento são parecidos, mas não tanto quanto eu pensei à princípio:

 

Então, vamos à avaliação.

Bossa, Duda Molinos
Pontos Positivos: Bom, custando uma média de 30 reais, é bem mais barato do que o da M.A.C.? E mais fácil de encontrar, já que tem em diversas farmácias, lojas de cosméticos, internet etc. A cor é muito bonita, um rosa bem clarinho, mas não com aquele fundo pálido demais. Na Loosho.com, por exemplo, eles descrevem como “nude médio”. (Para registro: médio, ok, mas não acho ele nude, não.) Considero que fique bem em vários tons de pele. A embalagem é fofa, funciona com aquele clique (olha aqui nesse post).
Pontos Negativos: Bom, a textura dele é matte. Eu gosto dessa textura, mas isso significa que ela não funciona bem para quem tem os lábios secos ou rachados. Nesses casos, é preciso, sim, passar um hidratante labial antes, para facilitar.

Please Me, M.A.C.
Pontos Positivos: É um dos meus rosas favoritos há tempos. É ligeiramente mais escuro que o do Duda Molinos. Nunca poderia, por exemplo, ser descrito como nude – nem se for médio. E acho que, apesar de também ser matte, é mais fácil de passar um pouco (para mim, tá, minha experiência). A embalagem é simples, mas bonita e boa, o cheirinho é característico dos batons M.A.C., bem gostosinho, mas nada forte nem enjoativo. A duração é uma das melhores. De verdade, tipo umas 5 horas, e olha que eu bebo água sem parar.
Pontos Negativos: A textura é a mesma coisa do batom DM. Os batons de acabamento Matte da M.A.C. são bem secos. Mas, como eu disse logo aqui em cima, isso significa que ele dura muuuuito na boca. E bom, é mais caro, R$69 no Brasil. E é uma das cores que vivem esgotadas por aqui.

Veredito
Sei lá, gosto muito dos dois. Ajudei? Não, né, ah, tá.. Mas acho que, considerando o preço e a qualidade, o Copacana, do Duda Molinos, é uma ótima opção, apesar de não ser exatamente da mesma cor que o Please Me. Mas acho que os dois fazem, sim, parte da mesma família.


Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 17 outros seguidores

Atualizações Twitter