Beleza exterior

Archive for agosto 2010

Uma coisa que eu já reparei que é super hábito de beleza comum entre várias mulheres – mesmo aquelas que não ligam muito, por exemplo, pra maquiagem – é ter sempre um creminho para as mãos por perto. Acho um costume ótimo, especialmente em dias como esses últimos, de tempo seco, que castigam a pele e deixam tudo bem ressecado. E porque acho bem feminino ter uma mão bem cuidada e macia sou machista? .

Eu tenho produtos que, nos últimos tempos, se tornaram meio queridinhos dessa minha rotina de hidratação. E comecei bem recentemente a dar mais atenção às unhas e cutículas também. Então, vim mostrar as coisinhas que eu uso e recomendo. São quatro:

À esquerda, creme da L’Occitane; à direita, Neutrogena

O creme maior é o Hidratante Anti-idade para as Mãos, da Neutrogena (numa pesquisa pela internet achei por R$23,50). Acho ele ótimo por alguns motivos. Um é o óbvio: ele é anti-idade (oi, 25+!). Nunca é demais prevenir, bla bla bla. Dois: tem FPS 30. É bem raro achar creme para as mãos com FPS, ainda mais tão alto. Mesmo assim ele não é nada oleoso. (Apesar de grossinho, é absorvido rapidamente pela pele.) O cheiro é ok, meio de sabonete, sei lá. Nada demais. Uso todos os dias antes de sair de casa.

O creme menorzinho é o Creme de Mãos Lavanda, da L’Occitane (R$37,00), que eu levo na bolsa, pra passar durante o dia. Ele é ótimo justamente por causa do tamanho, além de ser muito cheiroso (se você gosta de cheiro de lavanda, claro). Ele é mais “fininho”, mas também hidrata super bem. O tubinho menor é um amolecedor de cutículas da Dead Sea Cosmetics que eu uso só quando faço as unhas em casa (quase nunca, sou preguiçosa ocupada). É ok, sei lá, eu comprei porque tem um stand no shopping Ibirapuera que fica do lado do meu cabeleireiro e sempre que você passa lá o cara fica enfiando os cremes na sua cara e querendo testar em você. Mas o creme para o corpo dessa marca (um dia falo dele aqui) é muuuuito cheiroso, então valeu a pena. Hahahaha, oi, consumo consciente? Não trabalhamos.

À esquerda, creme da L’Occitane; à direita, Neutrogena

Finalmente, o último pote lá em cima, o pretinho, foi minha mais nova descoberta de beauté. Tem sido a salvação da lavoura das cutículas. Eu vi o Lemony Flutter, da Lush*, no Fabulous, e logo encomendei com a própria Vivian. Valeu cada um dos muitos centavos que ele custou, porque é tipo MUITO hidratante.

Uso toda noite antes de dormir (e às vezes, quando lembro ou não estou tipo duas horas atrasada, de manhã também) em todas as cutículas e vou falar a verdade: ele meio que faz uma meleca. Mas logo as cutículas ressecadas absorvem tudo e pronto, você dorme e acorda com as mãos macias e unhas como se estivessem recém-feitas.

Olha como é a textura dele:

Essa quantidade dá pra passar bastante em todas as cutículas

No potinho mesmo diz que você também pode passar em outras áreas ressecadas. Então eu super segui o conselho, e passo também nas cutículas do pé, no calcanhar, no joelho… Custa lá fora US$12.95, e dá pra comprar aqui por R$58,00 (eu sei, caro, né. Mas pensa que é um investimento. Ou pensa que eu sou louca, sei lá).

Ah: faltaram nas fotos duas coisas que eu deixo no trabalho: o creme de mãos da Kiehl’s, que não sei o preço, porque é uma amostra que ganhei (e não acho grandes coisas, então não pretendo comprar quando acabar) e a Cera Nutritiva Para Unhas e Cutículas da Granado (R$13,15) – que tem a mesma função do Lemony Flutter, e eu passo quando lembro, durante o dia (mas nem de longe ela é tão poderosa quanto, hein. Apesar de ser boa e custar um quarto do preço, claro).

(Por Laura F.)

*Eu sei que esse post foi extra-longo, mas uma última dúvida: por que, Deus, por que fecharam as lojas da Lush no Brasil? Que decisão empresarial mais idiota, cara. As mulheres aqui loucas pra se endividar e os caras fazem o quê? Fecham a loja de produtos naturais mais legal que existe. Pfff.

Demorou pra sair esse primeiro passo a passo aqui do blog, eu sei. Mas finalmente ele está aqui. Não faço ideia de quanto ele vai ser útil (oi, sinceridade demais? Hahahaha), e nem de se as fotos são ok pra entender o passo a passo. Por isso, please, deixem comentários e me digam, ok?

Antes de começar: eu usei várias sombras diferentes, de várias marcas diferentes também. Se você for tentar fazer, é só lembrar que pode usar isso como inspiração, e pegar tons que você tenha e sejam parecidos – ninguém precisa se preocupar porque “ah, não tenho essa Urban Decay ou M.A.C. que ela usou, então vou fazer a mesma maquiagem de sempre”. Nem vem com essa desculpa, passa na farmácia e compra uma sombra roxinha lá mesmo, por cinco reais, que serve super bem.

Ah! Outra coisa: se você não entender alguma coisa, vale a pena voltar no nosso minidicionário, né? Aqui!

Eu comecei já com primer (Urban Decay Primer Potion) na pálpebra – para a sombra durar mais e ficar mais intensa. Daí, o primeiro passo é pegar o pincel de sombra básico (usei o M.A.C. 239) e passar sombra prateada (Start Me Up, Sigma) clarinha no canto interno do olho (tipo no primeiro terço da pálpebra)

No segundo terço, meio do olho, você vai passar sombra rosa clara, com o mesmo pincel. Usei a sobra Grifter, da paleta Sustainable Shadow Box, da Urban Decay

Agora você troca o pincel. Estou usando o M.A.C. 226, que é fofo, de esfumar, mas tem a pontinha mais fina. Com ele, pega a sombra roxa (essa é da paleta Secrets Collection, do Boticário), e passa no terço exterior da pálpebra, puxando para o côncavo. Pode levar a cor até bem próximo ao canto interno, preenchendo digamos dois terços do côncavo (ok, vou parar de dividir seu olho em três, prometo, mas é que facilita, eu acho)

Agora, com o mesmo pincel, pego uma sombra roxa mais escura, com brilho (Beauty Marked, M.A.C.), para escurecer o “V” externo. Aqui, uma sombra preta funcionaria tão bem quanto!

A maquiagem ainda está bem marcada, né? Então você pega um pincel de esfumar mais gordinho (M.A.C. 224), e sombra iluminadora (Naked Lunch, M.A.C.). Ilumina o arco da sobrancelha e já aproveita pra esfumar tudo isso que você fez na pálpebra – vai fazendo movimentos de vai e vem, ou de bolinha, tanto faz, até quase não dar mais para perceber onde começa uma cor e termina outra

Pra finalizar, marquei a sobrancelha com sombra marrom (lembram?), passei muito rímel (DiorShow Iconic) e usei o lápis Binge, da Urban Decay (que é azul), na linha d’água. Na pele, base Teint Resist, Yves Saint-Laurent; corretivo Studio Sculpt, M.A.C.; blush rosa clarinho e iluminador da paleta Secrets Collection, O Boticário. O batom é o Colour Crafted, também da M.A.C.

Picnicdric não é o nome de um esmalte, tá. É o nome do espaço mais legal da cidade para fazer as unhas – uma espécie de mini salão, que fica no andar de cima da loja da Adriana Barra, nos jardins. O que faz ele ser tão tão especial é que tudo é pensado nos mínimos (mínimos mesmo!) detalhes pra ser fofo e caprichado. É tudo lindo, gente: as cadeiras são estofadas com tecido estampado (a das manicures é de zebra!), a mesinha é de gnomo – hahahaha, juro –, a acetona é chique e não resseca a cutícula, os potinhos de creme e etc. ficam dentro de uma cestinha de piquenique. E ah: todos os esmaltes são importados, chiquérrimos e tem todas aquelas cores bafo que você só vê em foto, tipo Nouvelle Vague e Particuliére, da Chanel.

Os esmaltes ficam todos nessas casinhas de boneca estilo vitoriano

Os esmaltes ficam todos nessas casinhas de boneca estilo vitoriano

Quem faz as unhas das clientes lá é a Gisele Camargo, manicure fofa e mega competente. Eu e Fabi fomos lá ontem (sábado) e foi tudo uma delícia. A parte mais difícil é, sem dúvida, escolher a cor pra usar. Uma das vendedoras da loja inclusive achou uma solução ótima pra isso: pintou as unhas do pé uma de cada cor – e juro, ficou sensacional!

Depois de muita dúvida e dilema, conseguimos: eu fui de Orange Frizz, da Chanel, e Fabi usou um roxo lindo da Orly – cujo nome não anotamos, dã! Mas tenho certeza que é ou o Charged Up ou o Rio Nights (eles são muito parecidos! Hahaha)

Resumo da ópera: amamos os esmaltes, amamos o espaço , amamos o pão de queijo feito lá na hora com cafézinho, amamos a manicure da Gisele (e da Thamires, que estava ajudando naquele dia!). E vamos voltar. É mais caro do que uma manicure normal, sim, mas pra quem é meio maníaca por esmaltes (oi, eu!) vale a pena. Pelo menos de vez em quando.

Ah: peguei as fotos daqui (blog da Denize Barros, designer mais que incrível responsável por executar essa lindeza de espaço!). Recomendo entrar no link pra ver mais fotos fofas.

Picnicdric Nails Mini Spa & Afins: Al. Franca, 1243, Jardins, tel. (11) 2925-2300

Tenho uma pequena anedota fashion para dividir aqui. Eu sou mega a favor de experimentações de moda, sabe? Acho que não tem muito problema sair um dia vestida de um jeito ridículo (meio ridículo, ok?), desde que seja porque você estava tentando alguma coisa diferente. Porque às vezes essa coisa diferente dá errado mesmo.

Que foi o que aconteceu comigo ontem. Eu tinha visto neste post aqui (de um ótimo blog já não tão novo, da editora de moda Denise Dahdah e outras colaboradoras) uma coisa super fofa e 50’s: meia soquete com escarpim. Fiquei inspiradíssima na hora! Olhem as fotos abaixo (que peguei do mesmo post, grata!) e me digam se não é uma coisa querida:

Aí, comprei uma meinha xadrez lindinha. Vesti um vestidinho básico e acinturadinho, com saia evasê, pra ficar no clima menininha. E quando calcei o sapato… Affe. Não ficou bom, não, viu. Ainda não consegui entender se foi a combinação de cores, se foi o fato de a meia ser curta demais (mas é pra ser soquete!) ou se foram minhas perninhas gorduchinhas e curtinhas. Hmmm. (Mas, em minha defesa, o fato de o salto ser bem altinho e o vestido mais curtinho, e tudo estar meio ton sur ton, deveria ter compensado esses “defeitinhos”. Não? Surtei? Help, Oficina de Estilo! Hahaha!)*

Mas eu não desisto. Tenho também uma meia ¾, e vou tentar usar essa – e também a soquete bonitinha-xadrezinha, que eu não largo o osso! – com oxford. Conto pra vocês se ficar melhor. Oremos.

(Por Laura F.)

*Vejam vocês que eu não sou assim suuuuper adepta das regras “baixinha-pernas-grossas-não-use-tal-coisa”, ok? Amo ankle boots, por exemplo. E quero ver alguém me convencer a não usar. Que-ro-ver.


Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 17 outros seguidores

Atualizações Twitter